Página inicial do site Brasília
Página inicial do site Brasília
 
   
   
Agenda do Samba e Choro
Vista aérea da Rodoviária de Brasília, Teatro Nacional, Touring Club e Setor de Diversões Sul (Conic) Teatro Nacional Setor de Diversões Sul Touring Club / Casa de Chá Hall
Plataforma Rodoviária, cruzamento do Eixo Monumental (nível térreo) com o Eixo Rodoviário. Em primeiro plano, o Teatro Nacional, e no alto o retângulo de prédios do Setor de Diversões Sul, conhecido como Conic, em 27-Nov-2003 (primavera / spring). Às 9h, o movimento é pequeno e os estacionamentos permanecem vazios.

Referências

Lúcio Costa
Relatório do Plano Piloto
de Brasília

5 – O cruzamento desse eixo monumental, de cota inferior, com o eixo rodoviário-residencial impôs a criação de uma grande plataforma liberta do tráfego que não se destine ao estacionamento ali, remanso onde se concentrou logicamente o centro de diversões da cidade, com os cinemas, os teatros, os restaurantes etc. (fig. 5)

6 – O tráfego destinado aos demais setores prossegue, ordenado em mão única, na área térrea interior coberta pela plataforma e entalada nos dois topos mas aberta nas faces maiores, área utilizada em grande parte para o estacionamento de veículos e onde se localizou a estação rodoviária interurbana, acessível aos passageiros pelo nível superior da plataforma (fig. 6). Apenas as pistas de velocidade mergulham, já então subterrâneas, na parte central desse piso inferior que se espraia em declive até nivelar-se com a esplanada do setor dos ministérios.

10 – Nesta plataforma onde, como se via anteriormente, o tráfego é apenas local, situou-se então o centro de diversões da cidade (mistura em termos adequados de Piccadilly Circus, Times Square e Champs Elysées). (...). Previram-se igualmente nessa extensa plataforma destinada principalmente, tal como no piso térreo, ao estacionamento de automóveis, duas amplas praças privativas dos pedestres, uma fronteira ao teatro da ópera e outra, simetricamente oposta, em frente a um pavilhão de pouca altura debruçado sobre os jardins do setor cultural e destinado a restaurante, bar e casa de chá. Nestas praças, o piso das pistas de rolamento, sempre de sentido único, foi ligeiramente sobrelevado em larga extensão, para o livre cruzamento dos pedestres num e noutro sentido, o que permitirá acesso franco e direto tanto aos setores do varejo comercial quanto ao setor dos bancos e escritórios (fig. 8).

 

   

Plataforma Rodoviária de Brasília
Cruzamento central: o Marco Zero


 
Flavio R. Cavalcanti - Dez. 2013

A Plataforma Rodoviária é o ponto de cruzamento das vias que definem o traçado da cidade — o Eixo Rodoviário (residencial, Norte-Sul) e o Eixo Monumental (institucional, Leste-Oeste) — e foi projetada para ser o centro da vida urbana.

O Eixo Monumental atravessa a Rodoviária em nível térreo, entroncando com o Eixo Rodoviário na parte central.

O Eixo Rodoviário atravessa em nível inferior, apelidado Buraco do Tatu (60 km/h, sem interrupção por semáforo ou faixa de pedestres).

A plataforma superior une os lados norte e sul do Eixo Rodoviário, mas não oferece passagem desimpedida. É um imenso estacionamento para veículos e calçadão para pedestres, unindo os setores cultural e de diversões.

Abriga também duas praças (que quebram o trânsito de veículos no sentido sul) e uma extensa marquise (lado norte) com as escadas, elevadores, lanchonetes, bancas de revistas, ponto de táxi etc.

A plataforma térrea constitui a Estação Rodoviária de Brasília, centro das linhas urbanas (cidades do Distrito Federal) e metropolitanas (cidades do Entorno do DF). Originalmente também recebia as linhas de ônibus interestaduais — hoje sediadas na Estação (Rodo-)Ferroviária, a 6 km do Centro.

A lógica era trazer a estrada até o centro da cidade, integrando o sistema de longa distância ao sistema de transportes urbano.

As duas alas térreas (originalmente separadas) são ligadas por um extenso mezzanino (acompanhando a marquise superior), que constituiu um dos primeiros centros de comércio e serviços no centro da cidade — restaurante, livraria, barbearia, farmácia, cine-foto, souvenirs etc.

Sob o gramado oeste (rotatória), entre os estacionamentos inferiores do Conjunto Nacional e do Conic foi construída a Estação Central do Metrô DF. O acesso se dá por escadas e elevadores na ala oeste da plataforma térrea da Rodoviária.

«» ª •’ — “”
     
Vista aérea da Rodoviária de Brasília, Touring Club (Casa de Chá) e Setor de Diversões Norte (Conjunto Nacional) Setor de Diversões Norte Touring Club / Casa de Chá
Plataforma Rodoviária com a Casa de Chá (Rotary Club) em primeiro plano, e à esquerda a praça que quebra o trânsito no sentido sul. No alto, o retângulo de prédios do Setor de Diversões Norte (shopping Conjunto Nacional Brasília), em 9-Set-2003 (inverno / winter). Às 8h50, os estacionamentos ainda estão vazios.
Plataforma Rodoviária de Brasília
Marco Zero | Ônibus | Metrô | Diversões | Cultura | Hall | Mezzanino | Descanso | Tatu | Invisível | Terrapleno | Construção

Exibir mapa ampliado
     

Busca no site
  
  
Página inicial do site Centro-Oeste
Página inicial da seção Ferrovias do Brasil
Sobre o site Brasília | Contato | Publicidade | Política de privacidade