Página inicial do site Centro-Oeste
Página inicial da seção Ferrovias do Brasil
  
   
   
Agenda do Samba e Choro
  
     

Ferrovias para Brasília - 1962
Caminhos para Brasília


 
Revista Ferroviária, Dez. 1962
[Acervo: José Emílio Buzelin (SPMT) / Pesquisa e digitalização: Chris R.]

Entre 1961 e 1964 a Revista Ferroviária publicou, lado a lado, notas e informes de grupos antagônicos — a favor e contra a erradicação de trilhos. Nesta nota, o grupo ligado ao DNEF desanca os engenheiros e a direção da Novacap, que durante alguns anos esteve encarregada de construir as ferrovias para Brasília. A partir daí, fotos feitas pela Novacap serão publicadas como obras do DNEF.

«Em ato a que presidiu e ao qual foram convocados [a] assistir representantes da imprensa desta cidade, o diretor geral do Departamento Nacional de Estradas de Ferro revalidou 19 contratos com firmas particulares relativos à execução de serviços preliminares para o estabelecimento das linhas ferroviárias destinadas a atingir a capital da República, em Brasília.

«Esses contratos haviam sido lavrados com a Novacap ao tempo do delírio brasiliano e nunca chegaram a ser executados por duas razões: falta de recursos e falta de condições daquele famoso órgão para conduzi-los. Na verdade, nem só falta de recursos e falta de condições, senão também, falta de competência. A Novacap fôra criada para qualquer cousa que houvesse dado na telha dos homens de então, mas nunca construir estradas de ferro. Daí porque Brasília até hoje não viu trens.

«Entre as imposições daquela época e os dias de hoje, porém, alguma cousa se alterou. O DNEF adquiriu moldes de regime autárquico e com o apoio do ministro da Viação, engº Hélio Almeida, e da própria opinião pública que nunca compreendeu a aberração, reivindicou o encargo que por natureza é seu. As obras para as quais a Novacap assinara contratos não executados foram-lhe entregues. Daí a cerimônia da revalidação dos termos de compromissos.

«Repostas, agora, as cousas nos devidos lugares, afastada, então, a exdruxulice de atribuir-se a uma companhia urbanizadora função ferroviária, vamos ver como os fatos poderão ser encaminhados. Não há dúvida que o DNEF é o órgão específico para o caso. Mas isso ainda não basta. O que todos esperam é a execução que tanto tarda.»

«» ª •’ — “”
     
As ferrovias na construção de Brasília
As opções em 1956 | Logística | Ferreocap | 1957: Decreto-convênio | 1962: Des-ferreocap
Brasília nos planos ferroviários (DF)
Ferrovias concedidas do plano de 1890 | EF Tocantins | Cia. Mogiana | Ferrovia Angra-Catalão | EF Goiás | Ferrovia Santos - Brasília
O prolongamento da Estrada de Ferro Central do Brasil | A ferrovia da Cia. Paulista | Ferrovias para o Planalto Central | Documentação
A chegada do trem a Brasília
Um trem para Brasília | O primeiro trem para Brasília
"Trens de luxo para Brasília" | Expresso Brasil Central | Reinauguração do Bandeirante
Ligação Santos-Brasília | Balanço de fim de jornada
Pátio de Brasília será o maior | A nova estação de Brasília
Abastecimento de combustíveis | Variante Pires do Rio e mudança do DNEF
A logística da construção | As ferrovias da Novacap
4ª viagem Experimental de trem para Brasília | Os trens experimentais do GTB
  

Busca no site
  
  
Página inicial do site Brasília
Página inicial do site Brasília
Sobre o site Brasília | Contato | Publicidade | Política de privacidade