Página inicial do site Centro-Oeste
Página inicial da seção Ferrovias do Brasil
  
   
   
Agenda do Samba e Choro
Mapa ampliado dos trilhos do pátio ferroviário de Brasília Setor de Inflamáveis - Trecho erradicado Setor de Inflamáveis - Segunda base de combustíveis Eixo Monumental - Extremidade oeste Primeiro viaduto da Via Estrutural Antiga Usina Termoelétrica Segundo viaduto da Via Estrutural ATC - Multigrain (soja) ADM  (soja) Setor de Inflamáveis - Segunda passagem de nível Setor de Inflamáveis - Primeira passagem de nível Oleoduto São Paulo Brasília (Osbra) Estação Rodo-Ferroviária Abastecimento de locomotivas Pátio de containers Pátio de coque Moinho Jauense e Pátio de areia Silo da Conab (soja) Ramais ferroviários do SIA - Setor de Indústria e Abastecimento

Referências

Lúcio Costa
Relatório do Plano Piloto
de Brasília

4 – Como decorrência dessa concentração residencial, os centros cívico e administrativo, o setor cultural, o centro de diversões, o centro esportivo, o setor administrativo municipal, os quartéis, as zonas destinadas a armazenagem, ao abastecimento e às pequenas indústrias locais, e, por fim, a estação ferroviária, foram-se naturalmente ordenando e dispondo ao longo do eixo transversal que passou assim a ser o eixo monumental do sistema (fig. 4). Lateralmente à intersecção dos dois eixos, mas participando funcionalmente e em termos de composição urbanística do eixo monumental, localizaram-se o setor bancário e comercial, o setor dos escritórios de empresas e profissões liberais, e ainda os amplos setores do varejo comercial.

14 – Acima do setor municipal foram dispostas as garagens da viação urbana, em seguida, de uma banda e de outra, os quartéis e numa larga faixa transversal o setor destinado ao armazenamento e à instalação das pequenas indústrias de interesse local, com setor residencial autônomo, zona esta rematada pela estação ferroviária e articulada igualmente a um dos ramos da rodovia destinada aos caminhões.

Esplanada Ferroviária

PPCUB
Plano Piloto de Brasília
Pátios ferroviários
"Pátio de Brasília será o maior"
SIA
Soja
Areia e Trigo
Sucata
Coque
Containers
Inflamáveis
UTE

   

Pátios ferroviários de Brasília
Ramais do SIA, SIN, STRC, SAAN
e Esplanada Ferroviária de Brasília


 
dfjdlfjdfdfjlfjslf

Xsdkjnfjdfksflaj

 

 

 

“Pequeno mundo

“Mesmo agora, quem for ao Distrito Federal e quiser comprovar, verá que o empreendimento justificaria a filosofia dos ufanistas e as assertivas presidenciais de que "ninguém mais segura este país".

Realmente, um pequeno mundo, onde cada coisa possui lugar e as largas avenidas, em grande parte edificadas, terão trens a percorrê-las, buzinando, orgulhosos, entre os modernos armazéns e depósitos.

“O pátio, na verdade, soma 5 outros: o pátio da estação, o do Setor de Indústria e Abastecimento, o do Setor de Inflamáveis — já em funcionamento com o terminal da Petrobrás —, o do Setor de Abastecimento e Armazenagem [SAAN?] e mais a área destinada ao Centro Integrado de Abastecimento de Brasília [Ceasa / Conab / Cibrazem?].

“No primeiro serão localizados o edifício da estação de passageiros, os prédios da administração e de moradia do pessoal, as instalações para limpeza e manutenção de carros de passageiros, áreas para triagem e composição de trens de carga, armazéns de mercadorias destinados aos órgãos governamentais, dependências para conserva do material rodante e do permanente, linha para as pontes rolantes, para carga e descarga de cofres de carga (containers), e para movimentação de piggy-back, depósito de óleo, subestação, torre de controle geral, balança, pátios de classificação, de partida e expedição, oficina de material de tração e armazéns de serviço rodo-ferroviário, tudo isso ocupando 4.826 mil metros quadrados.

“No pátio do setor de indústrias [SIA] haverá desvios para armazéns e instalações particulares, e lotes para novas empresas numa extensão de 237 mil m².

“O Setor de Inflamáveis contará com uma passagem superior rodoviária e lotes circulares destinados às instalações das companhias de petróleo e gás engarrafado, somando 123 mil m².

“Exatamente 1 milhão e 6 mil metros quadrados abrigarão os armazéns particulares do Setor de Abastecimento e Armazenagem [SAAN?], restando mais 558.700 m² para o Centro Integrado de Abastecimento de Brasília [Ceasa].

“Vale acrescentar, ainda, que os desvios, somados, no total de 137.542 km, pouco faltam para igualar-se às linhas de uma das Divisões da RFFSA — a 14ª Divisão Santa Catarina, que conta 184 quilômetros.

“Brasília

“Desde 21 de abril de 1968, há pouco mais de dois anos, portanto, Brasília conta com uma estação ferroviária provisória — Bernardo Sayão, que deve ter movimentado, numa estimativa válida, perto de 150 mil passageiros desde que entrou em funcionamento, nos dois sentidos.

“Cimento, madeira, gasolina e óleo predominam no transporte de carga, especialmente os combustíveis, enfileirados em composições de 40 vagões [N.W.: provável extensão do pátio em Bernardo Sayão], os quais asseguram o abastecijmento de todos os veículos automotores do planalto central e grande parte de Minas, a preços mais convenientes do que os cobrados antes da chegada dos trilhos.

“Quando for inaugurada a Estação de Brasília — assim se chamará — a pouco mais de 6 quilômetros do Eixo Monumental e da Estação Rodoviária, isto é, quase no centro da cidade, em linha reta [N.W.: Leia-se "a pouco mais de 6 km da Estação Rodoviária, na extremidade do Eixo Monumental"], Bernardo Sayão, à margem do Núcleo Bandeirante, passará a parada de subúrbio, prolongando-se na direção de Posto Ipê, Calambal e Engenheiro Amorim.

“Conforme convênio firmado a 27 de julho último com a Novacap (Cia. Urbanizadora da Nova Capital), vinculada hoje ao governo do Distrito Federal, o Departamento Nacional de Estradas de Ferro destinará Cr$ 30 milhões para o projeto completo da estação definitiva, encarregando-se da construção e dos serviços de urbanização do pátio e suas imediações, acessos rodoviários e extensão das redes de eletricidade, águas, esgotos e serviços complementares.

“A obra propriamente dita terá início no próximo ano, devendo estar concluída em 1972. No atual exercício foram consignados Cr$ 900 mil para esse trabalho, já estando o 2º Batalhão Ferroviário — o glorioso Batalhão Mauá —, sob o comando do cel. Raimundo Saraiva, empenhado no assentamento dos 225 quilômetros de linhas apenas dentro do pátio.”

 

 

 

 

«» ª •’ — “”
Esplanada Ferroviária
"Pátio de Brasília será o maior" | Pátios ferroviários | SIA | PPCUB
Localização (1977) | Extremidade norte | Extremidade sul | Além do viaduto
Soja | Areia e Trigo | Sucata | Coque | Containers | Inflamáveis | UTE
Estação ferroviária de Brasília
Camuflagem | Pilotis | Lanchonete | Subsolo | Piso superior | Torre sul | Torre norte | Plataformas
Abastecimento | Como seria | Maquete | Como ficou
Estação Bernardo Sayão
A chegada do trem a Brasília
Um trem para Brasília | O primeiro trem para Brasília
"Trens de luxo para Brasília" | Expresso Brasil Central | Reinauguração do Bandeirante
Ligação Santos-Brasília | Balanço de fim de jornada
Pátio de Brasília será o maior | A nova estação de Brasília
Abastecimento de combustíveis | Variante Pires do Rio e mudança do DNEF
A logística da construção | As ferrovias da Novacap
4ª viagem Experimental de trem para Brasília | Os trens experimentais do GTB
     
     

Busca no site
  
  
Página inicial do site Brasília
Página inicial do site Brasília
Sobre o site Brasília | Contato | Publicidade | Política de privacidade