Página inicial do site Brasília
Página inicial do site Brasília
 
   
   
Agenda do Samba e Choro
Detalhe da lagoa no planalto central no mapa do Brasil de 1670, de João Teixeira Albernaz II
Detalhe da lagoa no planalto central no mapa do Brasil de 1670, de João Teixeira Albernaz II

Bibliografia
braziliana

Enciclopédia dos municípios brasileiros - 18 Mar. 2015

Grande sertão: veredas - 29 Out. 2014

Itinerário de Riobaldo Tatarana - 27 Out. 2014

Notícia geral da capitania de Goiás em 1783 - 26 Out. 2014

Memórias do desenvolvimento - 19 Out. 2014

Preexistências de Brasília - 13 Out. 2014

Viagem pela Estrada Real dos Goyazes - 9 Out. 2014

Francesco Tosi Colombina - 3 Out. 2014

Estrada Colonial no Planalto Central - 27 Set. 2014

Chegou o governador - 12 Set. 2014

Alexandre de Gusmão e o Tratado de Madrid - 3 Out. 2013

  

Bibliografia
braziliense

Conterrâneos Velhos de Guerra - roteiro e crítica - 7 Nov. 2014

Como se faz um presidente: a campanha de JK - 21 Ago. 2014

Sonho e razão: Lucas Lopes, o planejador de JK - 15 Ago. 2014

Brasília: o mito na trajetória da Nação - 9 Ago. 2014

Luiz Cruls: o homem que marcou o lugar - 30 Jul. 2014

Quanto custou Brasília - 25 Set. 2013

JK: Memorial do Exílio - 23 Set. 2013

A questão da capital: marítima ou no interior?

No tempo da GEB

Brasília: a construção da nacionalidade

Brasília: história de uma ideia

  

Trens turísticos

Trem do Corcovado
São João del Rei
Campos do Jordão
Ouro Preto - Mariana
Trem das Águas
Trem da Mantiqueira
Trem das Termas
Montanhas Capixabas
Teleférico de Ubajara

Em projeto

Expresso Pai da Aviação
Trem ecoturístico da Mata Atlântica
Locomotiva Zezé Leone

Antigos trens turísticos

São Paulo - Santos
Cruzeiro - São Lourenço
Trem da Mata Atlântica
Trem dos Inconfidentes

Calendário 1987
VFCJ | Bitolinha | Lapa | Inconfidentes | Trem da Serra | Paranapiacaba
   

João Teixeira, 1630; 1670
Varadouro central


 
Flavio R. Cavalcanti - Out. 2013

A percepção do “planalto central” como um “entroncamento” central de caminhos, para passar de uma região a outra do Brasil, é anterior à descoberta do ouro, que levaria ao povoamento de Minas Gerais, Goiás e Mato Grosso, e à abertura das “estradas reais”.

Tratava-se, ainda, de “caminhos de canoas” — e passar de uma bacia fluvial para outra, significava transportar a canoa por um “varadouro” — onde o divisor de águas oferecesse relevo favorável.

O percurso mais curto e “suave” entre afluentes “navegáveis” de duas bacias diferentes.

Essa informação — citada pelo embaixador Jorge Latour em um encontro sobre imigração e colonização — ficou registrada (de modo vago) no terceiro volume do livro Brasília: antecedentes históricos, publicado pela Presidência da República na época da construção da nova capital [AH3 p. 29].

Mapa do Brasil de 1670, de João Teixeira Albernaz II
Mapa do Brasil de 1670,
de João Teixeira Albernaz II

Baseava-se em uma obra de Jaime Cortesão, cujo título não ficou registrado:

É o professor Jaime Cortesão, presente à Conferência, que o diz em uma de suas teses, e o diz como conclusão nº 1 e 2 do seu estudo:

« O varadouro entre o São Bartolomeu, Maranhão e rio Preto, ou seja, o divortium aquarum entre o Prata, o Tocantins e o São Francisco, sobre e à beira do qual se projeta o futuro Distrito Federal, foi não só um centro de difusão da cultura européia pelos indígenas, mas o primeiro nódulo da formação e unificação territorial do Brasil. Já no primeiro quartel do século XVII os bandeirantes haviam passado do Paraná ao Tocantins-Araguaia e ao São Francisco. A zona de ligação entre estes rios já aparece figurada no Atlas de João Teixeira, de 1630, que se guarda na Biblioteca de Washington. Há mais de três séculos, pois, a natureza e os homens haviam anunciado a excelência dessa região, como centro natural de unificação do Estado brasileiro » [Jorge Latour (emb.), I Conferência Brasileira de Imigração e Colonização, p. 49, cf. AH3:29].

A expressão “primeiro quartel do século XVII” reforça a data do mapa citado: 1630. E, como identificação adicional: “que se guarda na Biblioteca de Washington”.

Vale lembrar que, em 1630, Portugal encontrava-se sob domínio da coroa espanhola.

Em História de Niquelândia, Paulo Bertran apresenta outro mapa, de 1670, — portanto, já bem posterior à Restauração da coroa portuguesa, — de João Teixeira Albernaz II, onde uma lagoa aparece em destaque, entre as nascentes dos rios que correm para o Tocantins e para o rio Paranaíba.

Em História da terra e do homem no planalto central, Bertran já apresenta nada menos que três mapas, de 1665, 1670 e 1675, além de relacionar outros anteriores, bem como a evolução dessas informações ao longo daquele século:

Mapas dos cartógrafos Antônio Sanches (1641) e João Teixeira (1642) mostram o complexo Araguaia-Tocantins perfeitamente esboçado, faltando apenas o detalhamento de suas nascentes e de sua conexão com a bacia platina. Duas décadas depois, o mapa de João Teixeira Albenaz II (1665) mostra esse detalhamento, indicando duas cabeceiras para o Tocantins - rios Maranhão e Paranã - e duas para a bacia platina - o rio Corumbá e, provavelmente, o São Marcos. E entre as duas cabeceiras opostas aparece o esboço de uma lagoa, sem maiores explicações. Em 1670, o mesmo autor loca outro mapa, quase idêntico ao primeiro. Deu-se ao trabalho, no entanto, de conferir-lhe a denominação de "Lagoa". Há finalmente um terceiro mapa, desse mesmo João Teixeira Albernaz II (1675), que reúne diversas chaves para a história do Planalto, quando escreve, ao lado da já famosa lagoa: «lagoa onde há muito salitre». E onde se encontra essa lagoa? Nas cabeceiras do Iabebéri-Tocantins, em plena região do Distrito Federal e entorno.

«» ª … •’ — “”
Livros sobre Brasília
Plano Piloto de Brasília | Nas asas de Brasília | História de Brasília | A mudança da capital
No tempo da GEB (O outro lado da utopia) | Brasília: a construção da nacionalidade
Brasil, Brasília e os brasileiros | Brasília: Memória da construção
A questão da capital: marítima ou no interior? | revista brasília
JK: Memorial do Exílio | Quanto custou Brasília
Brasília: história de uma ideia | Brasília: antecedentes históricos
braziliense | braziliana | ferroviaria
Brasília e a ideia de interiorização da capital
Varadouro | Hipólito | Bonifácio | Independência | Vasconcelos | Império | Varnhagen
República | Cruls | Café-com-leite | Marcha para oeste | Constitucionalismo | Mineiros | Goianos
CC | A origem da “história” | Ferrovias para o Planalto Central
   

Trens de passageiros

Vitória - Belo Horizonte
São Luís - Parauapebas

Antigos trens de passageiros

Xangai
Barrinha
Expresso da Mantiqueira
Barra Mansa a Lavras
Trem de Prata
Trem Húngaro
Automotrizes Budd
Litorinas Fiat
Cruzeiro do Sul
Trem Farroupilha
Trem de aço da Paulista

Plataforma de embarque: 1995

Trens turísticos e passeios ferroviários
Trens de passageiros
Museus ferroviários
Maquetes ferroviárias
Eventos

  

Ferreoclipping

• Passagens e calendário do trem turístico Ouro Preto - Mariana | Percurso - 20 Dez. 2015

• Passagens e descontos do Trem do Corcovado | Onde comprar - 12 Dez. 2015

• Estação Pirajá completa a Linha 1 do Metrô de Salvador - 28 Nov. 2015

• EF Campos do Jordão | Horários | Hospedagem - 15 Jul. 2015

  

Byteria

Acompanhe

     

Busca no site
  
  
Página inicial do site Centro-Oeste
Página inicial da seção Ferrovias do Brasil
Sobre o site Brasília | Contato | Publicidade | Política de privacidade