Página inicial do site Brasília
Página inicial do site Brasília
 
   
   
Agenda do Samba e Choro
Localização das 10 antigas casas de fazendas seculares, documentadas pela autora, sobre o mapa do “Novo Distrito Federal” (IBGE, 1960)
Localização das 10 antigas casas de fazendas seculares, documentadas pela autora, sobre o mapa do “Novo Distrito Federal” (IBGE, 1960),
organizado por Clóvis de Magalhães

Estrada Real dos Goyazes

A Estrada Real dos Goiases foi aberta em 1734, com 3 mil km, da Bahia até a fronteira da Bolívia.

Quase ignorada pela historiografia tradicional, começou a ser resgatada na década de 1980, por pesquisadores goianos / brasilienses que, desde então, iniciaram uma “arqueologia” de seu percurso, identificando vários trechos no terreno.

Estrada Real dos Goyazes

Bibliografia
braziliense

Conterrâneos Velhos de Guerra - roteiro e crítica - 7 Nov. 2014

Como se faz um presidente: a campanha de JK - 21 Ago. 2014

Sonho e razão: Lucas Lopes, o planejador de JK - 15 Ago. 2014

Brasília: o mito na trajetória da Nação - 9 Ago. 2014

Luiz Cruls: o homem que marcou o lugar - 30 Jul. 2014

Quanto custou Brasília - 25 Set. 2013

JK: Memorial do Exílio - 23 Set. 2013

A questão da capital: marítima ou no interior?

No tempo da GEB

Brasília: a construção da nacionalidade

Brasília: história de uma ideia

  

Bibliografia
braziliana

Enciclopédia dos municípios brasileiros - 18 Mar. 2015

Grande sertão: veredas - 29 Out. 2014

Itinerário de Riobaldo Tatarana - 27 Out. 2014

Notícia geral da capitania de Goiás em 1783 - 26 Out. 2014

Memórias do desenvolvimento - 19 Out. 2014

Preexistências de Brasília - 13 Out. 2014

Viagem pela Estrada Real dos Goyazes - 9 Out. 2014

Francesco Tosi Colombina - 3 Out. 2014

Estrada Colonial no Planalto Central - 27 Set. 2014

Chegou o governador - 12 Set. 2014

Alexandre de Gusmão e o Tratado de Madrid - 3 Out. 2013

  

Trens turísticos

Trem do Corcovado
São João del Rei
Campos do Jordão
Ouro Preto - Mariana
Trem das Águas
Trem da Mantiqueira
Trem das Termas
Montanhas Capixabas
Teleférico de Ubajara

Em projeto

Expresso Pai da Aviação
Trem ecoturístico da Mata Atlântica
Locomotiva Zezé Leone

Antigos trens turísticos

São Paulo - Santos
Cruzeiro - São Lourenço
Trem da Mata Atlântica
Trem dos Inconfidentes

Calendário 1987
VFCJ | Bitolinha | Lapa | Inconfidentes | Trem da Serra | Paranapiacaba
  

Trens de passageiros

Vitória - Belo Horizonte
São Luís - Parauapebas

Antigos trens de passageiros

Xangai
Barrinha
Expresso da Mantiqueira
Barra Mansa a Lavras
Trem de Prata
Trem Húngaro
Automotrizes Budd
Litorinas Fiat
Cruzeiro do Sul
Trem Farroupilha
Trem de aço da Paulista

Plataforma de embarque: 1995

Trens turísticos e passeios ferroviários
Trens de passageiros
Museus ferroviários
Maquetes ferroviárias
Eventos

  

Ferreoclipping

• Passagens e calendário do trem turístico Ouro Preto - Mariana | Percurso - 20 Dez. 2015

• Passagens e descontos do Trem do Corcovado | Onde comprar - 12 Dez. 2015

• Estação Pirajá completa a Linha 1 do Metrô de Salvador - 28 Nov. 2015

• EF Campos do Jordão | Horários | Hospedagem - 15 Jul. 2015

  

Bibliografia

• Índice das revistas Centro-Oeste (1984-1995) - 13 Set. 2015

• Tudo é passageiro - 16 Jul. 2015

• The tramways of Brazil - 22 Mar. 2015

• História do transporte urbano no Brasil - 19 Mar. 2015

• Regulamento de Circulação de Trens da CPEF (1951) - 14 Jan. 2015

• Batalhão Mauá: uma história de grandes feitos - 1º Dez. 2014

• Caminhos de ferro do Rio Grande do Sul - 20 Nov. 2014

• A Era Diesel na EF Central do Brasil - 13 Mar. 2014

• Guia Geral das Estradas de Ferro - 1960 - 13 Fev. 2014

• Sistema ferroviário do Brasil - 1982 - 12 Fev. 2014

  

Ferreofotos

• Alco RSD8 Fepasa - 29 Fev. 2016

• G12 200 Acesita - 22 Fev. 2016

• “Híbrida” GE244 RVPSC - 21 Fev. 2016

• U23C modernizadas C30-7MP - 17 Fev. 2016

• C36ME MRS | em BH | Ferronorte - 14 Fev. 2016

• Carregamento de blocos de granito na SR6 RFFSA (1994) - 7 Fev. 2016

• G12 4103-6N SR6 RFFSA - 6 Fev. 2016

• Toshiba nº 14 DNPVN em Rio Grande - 25 Jan. 2016

• Encarrilamento dos trens do Metrô de Salvador (2010) - 14 Nov. 2015

• Incêndio de vagões tanque em Mogi Mirim (1991) - 9 Nov. 2015

• Trem Húngaro nas oficinas RFFSA Porto Alegre (~1976) - 21 Out. 2015

  

Ferrovias

• Estação de Cachoeiro de Itapemirim | Pátio ferroviário (1994) - 28 Fev. 2016

• Caboose, vagões de amônia e locomotivas da SR7 em Alagoinhas (1991) - 25 Fev. 2016

• Locomotivas U23C modificadas para U23CA e U23CE (Numeração e variações) - 17 Fev. 2016

• A chegada da ponta dos trilhos a Brasília (1967) - 4 Fev. 2016

• Livro “Memória histórica da EFCB” - 7 Jan. 2016

• G8 4066 FCA no trem turístico Ouro Preto - Mariana (Girador | Percurso) - 26 Dez. 2015

• Fontes e fotos sobre a locomotiva GMDH1 - 18 Dez. 2015

• Locomotivas Alco RS no Brasil - 11 Dez. 2015

• Pátios do Subsistema Ferroviário Federal (2015) - 6 Dez. 2015

   

braziliense: Brasília, Brasil
Preexistências de Brasília
Reconstruir o território para construir a memória


 
Flavio R. Cavalcanti - 13 Out. 2014

Preexistências de Brasília
Reconstruir o território para construir a memória
Lenora de Castro Barbo
Dissertação de Mestrado
Faculdade de Arquitetura e Urbanismo
Universidade de Brasília, 2010
384 p.

O objetivo da Autora — “reconstruir o antigo território do Planalto Central” — se desdobrou em 5 linhas de trabalho:

  • descrever e investigar o território do atual Distrito Federal (DF);

  • resgatar e confrontar a cartografia histórica do Planalto Central;

  • identificar e registrar os cronistas e viajantes que percorreram a região, nos séculos XVIII e XIX;

  • levantar e reconstituir o traçado das antigas vias de comunicação do Brasil colonial que cruzavam os atuais limites do DF; e

  • inventariar e analisar moradas rurais que fizessem parte de antigas fazendas [p. VII].

Ainda que estes 5 focos não pareçam “fechar” um conjunto coeso, sem dúvida são alguns dos pré-requisitos para “construir a memória” do território do DF — algo que já extrapola o trabalho individual.

Cartografia

O levantamento da cartografia histórica do atual DF pode tornar-se (ou não) um “clássico”, fundamental para futuras pesquisas que dependam desse conhecimento específico. São analisados 22 mapas dos séculos XVIII e XIX, incluindo variantes com diferentes atribuições de data e autoria, no total de 35 documentos cartográficos históricos. Ao final do Cap. 2, esses documentos são sistematizados e resumidos no Quadro 2 [p. 80-92]. A qualidade do levantamento e das análises recomenda examinar também a produção dos colaboradores citados.

Mapas do século XVIII

1 - O prim.ro mais ajustado, que lá apareceo até/ aquele tempo, e o menos distante da verdade da destrebuiçaõ desta Comarca,/e seos Arrayaes, mostrando o caminho, que vem da Vila de Santos a esta Capi-/tal, e daqui ao Cuyabá, Mato Groso, Rio da madeira, té o das Amazonas;

2 - Mapa geral dos limites da Capitania de Goiás;

3 - Mapa que mostra a capitania de Goiás e a região ao sul até o rio da Prata;

4 - Mappa dos Sertões, que se comprehendem de Mar a Mar entre as Capitanias de S. Paulo, Goyazes, Cuyabá, Mato-grosso, e Pará;

5 - Mappa da Capitania de S. Paulo e seu sertão, em que se vem os descobertos, que lhe forão tomados para Minas Geraes, como também o Caminho de Goyazes, com todos os seus pouzos, e passagens, deleniado por Francisco Tosi Columbina. Primeira Parte;

6 - Mappa da Capitania de Goyazes, e de todo o sertão por onde passa o Rio Maranhão, ou Tucantins;

7 - Carta da Capitania de Goyaz;

8 - Mapa da Capitania de Goiás e regiões circunvizinhas mostrando as comunicações entre as bacias do Prata e do Amazonas;

9 - Mapa da Capitania de Goiás;

10 - Mapa Geral da Capitania de Goiás;

11 - Mapa Geral da Capitania de Goiás;

12 - Carta ou Plano geográfico da Capitania de Goyaz;

13 - Carta de toda a porção d'América Meridional, que pareceo necessaria a manifestar a viagem de 569 legoas commuas, que da escala e cidade do Rio de janeiro executou por terra, em 17 do mes de Mayo de 1772, para Villa Bella da Santissima Trindade, o Governador e Capitão General do Estado do Mato Grosso e Cuiabá, Luis d'Albuquerque de Mello Pereira e Caceres do Conselho de Sua magestade Fidelissima que Deos o guarde;

14 - Carta ou Plano geográfico da Capitania de Goyaz mandado fazer por José de Almeida de Vasconsellos Soveral e Carvalho em 1778;

15 - Mapa dos Julgados da Capitania de Goiás;

16 - Carta ou Plano Geographico da Capitania de Goyas ou Mapa dos Julgados;

17 - Carta da Capitania de Goiás no auge de sua expansão no séc. 18; e

18 - Carta ou Plano Geographico da Captª. de Goyaz huma das do centro da America Meridional, do Reino de Portugal que mandou construir o Illmº e Excllmº Snr. José de Almda de Vasconcellos de Sovral e Carvalho Gov.or e Cap. Gen. da dita Capit.ª do Dia 26 de Julho de 1777 até Maio de 78, que a entregou.

Mapas do século XIX:

1 - Mappa Geografico da Capitania de Villa boa de Goyas combinado com partes de Outros, que denotão as Capitanias de Minas Gerais e Maranhão mandado tirar pello Ilmo. e Exmo. Snr. Fernando Delgado Freire de Castilho Governador e Capitão General da mesma Capitania, no anno de 1819;

2 - Karte von Brasilien worauf die Reisen der osterreich Naturforfeher Dr. Pohl u. Johann Natterer angezciehnet sind;

3 - Karte von Brasilien worauf die Reisen der osterreich Naturforfeher Dr. Pohl u. Johann Natterer angezciehnet sind;

4 - Carte der Provinz Goyaz im Jahre 1777 aufgenommen Thomas de Souza, Major der Cavallerie berichtigt nach eigenen Beobachtungen, Carten und Nachrichten von W. von Eschwege;

5 - Carta Corografica Plana da Provincia de Goyaz e dos Julgados de Araxá e Desemboque da província de Minas Geraes organisado pelo Brigadeiro Raimundo Jozé da Cunha Mattos Governador das Armas de Goyaz para acompanhar os seus itinerários escritos em 1826 e publicados no anno de 1836;

6 - Carta Corografica Plana da Provincia de Goyaz e dos Julgados de Araxá e Desemboque da Província de Minas Geraes organisado pelo Brigadeiro Raimundo Jozé da Cunha Mattos Governador das Armas de Goyaz para acompanhar os seus Itinerários escritos em 1826 e publicados no anno de 1836;

7 - Carta corográfica da provincia de Goyaz e dos Julgados de Araxá e desemboque da provinca de Minas Geraes;

8 - Carta Corografica Plana da Provincia de Goyaz e dos Julgados de Araxá e Desemboque da Província de Minas Geraes;

9 - Goyaz. Vcde de Villiers de L’Ile-Adam. Gravado na Lithographia Imperial. Publicado no Rio de Janeiro por: Garnier Irmãos Livreiros. Rio de Janeiro. 1849;

10 - Carta da Provincia de Goyaz. Organisada em 1874 por ordem do Ministerio d'Agricultura Commercio e Obras Publicas, pelo Capitão d'Engenheiros Joaquim R. de M. Jardim, conforme as melhores cartas existentes e observações proprias. Rio de Janeiro, 1875;

11 - Carta do sul de Goyaz e triangulo mineiro por Oscár Leal segundo as cartas existentes e observações próprias;

12 - Mapa Cartográfico do Quadrilátero Cruls;

13 - Mappa do Brazil, indicando a posição da Zona demarcada para o futuro Districto Federal, Commissão Exploradora do Planalto Central do Brazil, 1893;

14 - Mappa do Brazil, mostrando a posição do Distrito Federal demarcado assim como os principais caminhamentos levantados pela Commissão;

15 - Esboço da zona de 14.400 kilometros quadrados, demarcada no Planalto Central do Brazil, para o districto federal, mostrando os caminhamentos ligando Pyrenopolis, Santa Luzia e Formosa;

16 - Mappa dos itinerários levantados, com a indicação da Zona demarcada e da constituição geológica da região explorada. Commissão Exploradora do Planalto Central do Brazil; e

17 - Planta do Districto Federal mostrando o adiantamento dos trabalhos topographicos realisados até fins do anno 1895.

Relatos de viagem

No capítulo 3, são analisados os relatos de viagem de 16 cronistas que percorreram algum trecho dentro do DF atual, sendo 4 do século XVIII e 12 do século XIX:

  • José da Costa Diogo (1734);
  • Tosi Colombina (1750);
  • José de Almeida Vasconcelos Soveral e Carvalho (1773);
  • Luís da Cunha Menezes (1778);
  • Johann Emanuel Pohl (1818);
  • Auguste de Saint-Hilaire (1819);
  • Raimundo José da Cunha Matos (1823);
  • José Martins Pereira de Alencastre (1863);
  • Visconde de Taunay (1875);
  • Virgílio Martins de Mello Franco (1876);
  • Francisco Adolfo de Varnhagen (1877);
  • Oscar Leal (1889);
  • Luiz Cruls (1892-1895);
  • Hastimphilo de Moura (1892-1895);
  • Antonio Martins de Azevedo Pimentel (1892-1893); e
  • Henrique Morize (1892-1895) [p. 95].

Fica claro que o território do DF atual já era habitado há 280 anos, e não sofria de nenhum “isolamento” — pelo contrário, já era um entroncamento de alguns dos principais e mais movimentados caminhos do Brasil colônia, no século XVIII. — E que, apesar da decadência após o esgotamento do ouro, manteve-se transitado, povoado e produtivo ao longo do século XIX.

A Estrada Real de Goiás sobre o mapa do “Novo Distrito Federal” (IBGE, 1960)
A Estrada Real de Goiás sobre o mapa do “Novo Distrito Federal” (IBGE, 1960),
organizado por Clóvis de Magalhães

Estrada Real dos Goiases

O trabalho de reconstituição dos caminhos históricos no território do DF atual, — especialmente o percurso da Estrada Real dos Goiases, — foi feito com todos os recursos possívels da tecnologia atual.

Foram escolhidos 3 mapas do século XVIII, 5 do século XIX, — por critérios tais como conter indicação de caminho dentro do DF e evitar informações repetidas, — e 2 do século XX, imediatamente anteriores à construção de Brasília (Comissão de Cooperação para Mudança da Capital Federal, 1958; IBGE, 1960).

Os mapas históricos foram convertidos em formato digital (scanner) e georeferenciados, a partir do Sistema Cartográfico do Distrito Federal (Sicad, 1991, 1997). As estradas neles indicadas foram digitalizadas (AutoCAD); e os percursos assim obtidos foram sobrepostos a uma imagem do satélite do programa China Brazil Earth Resource Satellite (CBERS), do ano de 2008, para reconstituí-los em bases cartográficas atuais.

Os 8 trajetos assim obtidos (ver abaixo) refletem, ao que tudo indica, diferentes graus de distorção existentes em mapas mais antigos, — que, além de tudo, não detalhavam a área do atual DF ao ponto de viabilizar essa operação.

Ironicamente, enorme distorção também ocorre num dos mapas da 1ª Missão Cruls (1893), praticamente jogando o percurso da Estrada Real dos Goiases para fora do DF atual.

Outros 2 mapas antigos contêm distorções que fariam a Estrada Real dos Goiases subir e descer chapadas e vales, passando longe de locais conhecidos no terreno, como Mestre d’Armas, Contagem, Três Barras, Rodeador etc.

Restam 4 percursos, — indicados em mapas da 2ª Missão Cruls e da época da construção de Brasília (1958 e 1960), — com menor grau aparente de distorção, e coincidindo bastante com o trajeto mais provável, pelos locais conhecidos no terreno.

A conclusão da autora é pelo caminho sobre o divisor de águas, admitindo portanto a falha da experiência tecnológica sobre mapas antigos, distorcidos, e em escalas incompatíveis com o detalhamento do território do DF atual:

Ao que tudo indica, era sobre o “Espigão Mestre do Brasil” e os “espigões secundários”, tão bem descritos por Polli Coelho, que se estendiam os caminhos que cruzavam a região [p. 175].

Sumário

  • Resumo
  • Introdução
  • Capítulo 1 – Descrever o território
    • 1.1 – A geografia do Distrito Federal
    • 1.2 – A geopolítica do Distrito Federal
  • Capítulo 2 – Mapear o território
    • 2.1 – Cartografia histórica do século XVIII
    • 2.2 – Cartografia histórica do século XIX
  • Capítulo 3 – Viajar pelo território
    • 3.1 – Cronistas e viajantes do século XVIII
    • 3.2 – Cronistas e viajantes do século XIX
  • Capítulo 4 – Caminhar pelo território
    • 4.1 – A reconstituição dos caminhos de ocupação no território
    • 4.2 – As estradas históricas nos limites do atual Distrito Federal
  • Capítulo 5 – Morar no território
    • 5.1 – As moradas rurais das antigas fazendas goianas
    • 5.2 – Inventário das moradas rurais do Distrito Federal
  • Considerações finais
  • Referências bibliográficas
  • Lista de abreviaturas e siglas
  • Lista de figuras
  • Lista de quadros
  • Anexos

Anexos

  • Anexo 1 – José da Costa Diogo, 1734. Roteiro das fazendas que há no caminho que vay do rio de São Francisco p.a as minas dos goyazes athe o arraial da Meiaponte

  • Anexo 2 – Luis d’Albuquerque, 1772. Roteiro da viagem de 569 léguas que da cidade do Rio de Janeiro executou por terra para Villa Bella da Santíssima Trindade o Governador e Capitão General de Estado do Mato Grosso e Cuiabá, Luís d’Albuquerque de Mello Pereira e Cáceres

  • Anexo 3 – Soveral e Carvalho, 1773. Marcha s. exª. Do julgado dos Couros para o de Santa Luzia

  • Anexo 4 – Cunha Menezes, 1778. Jornada que fez Luís da Cunha Menezes da Cidade da Bahia para a Vila de Caxoeira no dia 29 de agosto, e desta no dia 2 de setembro para Vila Boa Capital de Goyaz aonde chegou no dia 15 de outubro de 1778

  • Anexo 5 – Saint-Hilaire, 1819. Itinerário aproximado do Arraial de Santa Luzia ao de Meia Ponte

  • Anexo 6 – Cunha Matos, 1856. Itinerário nº 11 Da Cidade de Goiás até o Registro de Santa Maria, no Termo do Julgado de Flores

  • Anexo 7 – Cunha Matos, 1856. Itinerário nº 15 Da Cidade de Goiás para o Registro de Arrependidos

  • Anexo 8 – Cunha Matos, 1824. Itinerário nº 25 Do Arraial de Traíras para o de Santa Luzia

  • Anexo 9 – Cunha Matos, 1856. Itinerário nº 27 De Traíras para Santa Luzia pela Lagoa Formosa

  • Anexo 10 – Cunha Matos, 1856. Itinerário nº 28 Do Arraial de Cavalcante para Santa Luzia pela Chapada dos Veadeiros

  • Anexo 11 – Cunha Matos, 1856. Itinerário nº 48 Do Arraial de Traíras para o de Flores pela Lagoa Formosa

  • Anexo 12 – Revista IHGB tomo XX, 1857. Roteiros das distâncias de Villa Bella ao arraial de Meia Ponte, e d’este até a cidade da Bahia, cidade do Rio de janeiro e Villa de Santos

  • Anexo 13 – Virgílio de Mello Franco, 1888. Tabella de Pousos e Distancias

  • Anexo 14 – Luiz Cruls, 1894. Distâncias kilométricas dos itinerários

  • Anexo 15 – Oscar Leal, 1892. Glossário

  • Anexo 16 – Relação dos instrumentos utilizados para reconstituir do modo mais circunstanciado possível o traçado original das estradas históricas

  • Anexo 17 – Cronologia do Planejamento Territorial do Distrito Federal

«» ª … •’ — “”
   

Trens turísticos

Trem do Corcovado
São João del Rei
Campos do Jordão
Ouro Preto - Mariana
Trem das Águas
Trem da Mantiqueira
Trem das Termas
Montanhas Capixabas
Teleférico de Ubajara

Em projeto

Expresso Pai da Aviação
Trem ecoturístico da Mata Atlântica
Locomotiva Zezé Leone

Antigos trens turísticos

São Paulo - Santos
Cruzeiro - São Lourenço
Trem da Mata Atlântica
Trem dos Inconfidentes

Calendário 1987
VFCJ | Bitolinha | Lapa | Inconfidentes | Trem da Serra | Paranapiacaba
  

Trens de passageiros

Vitória - Belo Horizonte
São Luís - Parauapebas

Antigos trens de passageiros

Xangai
Barrinha
Expresso da Mantiqueira
Barra Mansa a Lavras
Trem de Prata
Trem Húngaro
Automotrizes Budd
Litorinas Fiat
Cruzeiro do Sul
Trem Farroupilha
Trem de aço da Paulista

Plataforma de embarque: 1995

Trens turísticos e passeios ferroviários
Trens de passageiros
Museus ferroviários
Maquetes ferroviárias
Eventos

  

Ferreoclipping

• Passagens e calendário do trem turístico Ouro Preto - Mariana | Percurso - 20 Dez. 2015

• Passagens e descontos do Trem do Corcovado | Onde comprar - 12 Dez. 2015

• Estação Pirajá completa a Linha 1 do Metrô de Salvador - 28 Nov. 2015

• EF Campos do Jordão | Horários | Hospedagem - 15 Jul. 2015

  

Ferreofotos

• Alco RSD8 Fepasa - 29 Fev. 2016

• G12 200 Acesita - 22 Fev. 2016

• “Híbrida” GE244 RVPSC - 21 Fev. 2016

• U23C modernizadas C30-7MP - 17 Fev. 2016

• C36ME MRS | em BH | Ferronorte - 14 Fev. 2016

• Carregamento de blocos de granito na SR6 RFFSA (1994) - 7 Fev. 2016

• G12 4103-6N SR6 RFFSA - 6 Fev. 2016

• Toshiba nº 14 DNPVN em Rio Grande - 25 Jan. 2016

• Encarrilamento dos trens do Metrô de Salvador (2010) - 14 Nov. 2015

• Incêndio de vagões tanque em Mogi Mirim (1991) - 9 Nov. 2015

• Trem Húngaro nas oficinas RFFSA Porto Alegre (~1976) - 21 Out. 2015

  

Ferrovias

• Estação de Cachoeiro de Itapemirim | Pátio ferroviário (1994) - 28 Fev. 2016

• Caboose, vagões de amônia e locomotivas da SR7 em Alagoinhas (1991) - 25 Fev. 2016

• Locomotivas U23C modificadas para U23CA e U23CE (Numeração e variações) - 17 Fev. 2016

• A chegada da ponta dos trilhos a Brasília (1967) - 4 Fev. 2016

• Livro “Memória histórica da EFCB” - 7 Jan. 2016

• G8 4066 FCA no trem turístico Ouro Preto - Mariana (Girador | Percurso) - 26 Dez. 2015

• Fontes e fotos sobre a locomotiva GMDH1 - 18 Dez. 2015

• Locomotivas Alco RS no Brasil - 11 Dez. 2015

• Pátios do Subsistema Ferroviário Federal (2015) - 6 Dez. 2015

  

Byteria

  

Mboabas

  

Bibliografia
braziliense

Conterrâneos Velhos de Guerra - roteiro e crítica - 7 Nov. 2014

Como se faz um presidente: a campanha de JK - 21 Ago. 2014

Sonho e razão: Lucas Lopes, o planejador de JK - 15 Ago. 2014

Brasília: o mito na trajetória da Nação - 9 Ago. 2014

Luiz Cruls: o homem que marcou o lugar - 30 Jul. 2014

Quanto custou Brasília - 25 Set. 2013

JK: Memorial do Exílio - 23 Set. 2013

A questão da capital: marítima ou no interior?

No tempo da GEB

Brasília: a construção da nacionalidade

Brasília: história de uma ideia

Acompanhe

Reconstituição do percurso da Estrada Real dos Goiases indicado em mapas antigos, plotado sobre imagens de satélite do programa China Brazil Earth Resource Satellite (CBERS)
Reconstituição do percurso da Estrada Real dos Goiases indicado em mapas antigos, plotado sobre imagens de satélite
do programa China Brazil Earth Resource Satellite (CBERS), de 2008
Estrada Real dos Goyazes
Viagem pela Estrada Real dos Goyazes | Estrada Colonial no Planalto Central
Notícia geral da capitania de Goiás em 1783 | Preexistências de Brasília
Alexandre de Gusmão e o Tratado de Madri
Francesco Tosi Colombina | Chegou o governador
Livros sobre Brasília
Plano Piloto de Brasília | Nas asas de Brasília | História de Brasília | A mudança da capital
No tempo da GEB (O outro lado da utopia) | Brasília: a construção da nacionalidade
Brasil, Brasília e os brasileiros | Brasília: Memória da construção
A questão da capital: marítima ou no interior? | revista brasília
JK: Memorial do Exílio | Quanto custou Brasília
Brasília: história de uma ideia | Brasília: antecedentes históricos
braziliense | braziliana | ferroviaria
Marcos históricos de Brasília
O Plano Piloto de Lúcio Costa | A escolha do Plano Piloto | O lago de Glaziou
A origem do Catetinho | Vida e morte de Bernardo Sayão
O massacre da Pacheco Fernandes
A logística da mudança | Os trens experimentais | A chegada do trem
A Pedra Fundamental | Missão Cruls | Relatório Cruls
Carta de Formosa | Emenda Lauro Müller
A idéia mudancista | Documentação
Brasília e a ideia de interiorização da capital
Varadouro | Hipólito | Bonifácio | Independência | Vasconcelos | Império | Varnhagen
República | Cruls | Café-com-leite | Marcha para oeste | Constitucionalismo | Mineiros | Goianos
CC | A origem da “história” | Ferrovias para o Planalto Central
  

Busca no site
  
  
Página inicial do site Centro-Oeste
Página inicial da seção Ferrovias do Brasil
Sobre o site Brasília | Contato | Publicidade | Política de privacidade